MINHA EXPERIÊNCIA NO ESCRITÓRIO JOAQUIM GUEDES NO DESPERTAR DO SÉCULO XXI

Non finiremo mai di cercare.
E la fine della nostra ricerca
sarà arrivare al punto da cui siamo partiti
e il conoscere quel luogo per la prima volta.
Thomas S. Elliot

A arquitetura sempre foi uma companheira de difíceis diálogos ….

Já com quatro anos, visitava casas de alto padrão com meu pai, que estavam à venda, sempre com um olhar sobre a Arquitetura da Casa e sua poética, sua construção, sua tectônica  …. Meu pai era um típico italiano, não era arquiteto (carregando no dorso algumas centenas de anos de história urbana).

Não bastasse essas visitas às casas, visitávamos cidades …. E lugares …. E novas obras de concreto armado e modernidade, que meu pai adorava.

Coroando isso, o colégio nos levava a descobrir outras facetas poéticas da cidade, às vezes mais sombrias (Arrigo Barnabé) às vezes mais doces (Rumo), mas entre os pilares e as vigas do Masp, Sesc Pompéia, Centro Cultural São Paulo, centro da cidade, todos os lugares.

Joaquim Guedes foi meu professor no quarto ano …. Eu estava quase para desistir da faculdade, olhava para tudo aquilo e nunca conseguia ter uma atitude segura a nada: eu não era um gênio, os projetos não estavam prontos e acabados na minha cabeça, eu não fazia um croquis síntese onde tudo estava lá e eu resolvia o problema do mundo …. Queria desistir! O Guedes me pegou pela mão, me levou à biblioteca do escritório dele, e me mostrou livros e livros de arquitetura, falava da poética da criação, da Lina Bo Bardi, do Alvar Aalto, e por último me deu um livro do Frank O’ Gehry para que eu terminasse meu projeto do quarto ano ….

Três anos depois trabalhava em Roma, no escritório do arquiteto Massimiliano Fuksas!

Depois de três anos trabalhando com o arquiteto Massimiliano Fuksas, fui trabalhar com o Joaquim Guedes, por outros três anos aproximadamente …. Fluía tão bem, era tão harmônico, era tão redondo e …. Simples!

Ele quis ser meu orientador no trabalho final do curso e eu não quis.

Ele quis ser meu orientador no mestrado, e eu não quis

Agora, se fosse fazer doutorado, gostaria que fosse meu orientador, mas ele já se foi ….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s